Os Voos da Xoana

Taxistas em Bangkok

TAILÂNDIA PARTE 3

Se você está planejando uma viagem para Bangkok, capital da Tailândia, fique esperto ao pegar um taxi e sempre peça que liguem o taxímetro, antes mesmo de entrar no carro. Eles são muito “espertinhos” e desligam o taxímetro, cobrando taxas bem maiores dos turistas. Tudo bem que quando convertemos o valor para o Real, fica bem barato, mas temos que pensar que estamos em outra cidade, com outra valorização de moeda (um dos poucos lugares do mundo onde nosso Real vale alguma coisa), e que devemos pagar o preço justo, praticado para os locais, inclusive.

Como o trânsito na capital tailandesa é caótico e você perde horas parado no congestionamento (é igual – ou até pior – que em São Paulo), os taxistas acabam cobrando o triplo, ou até mais, do valor que seria pago com o taxímetro ligado, pois dizem que há muito tráfego. Uma alternativa é pegar um Uber.

IMG_3757

Importante: essa negociação é feita antes mesmo de entrar no carro, portanto, sempre pergunte: “Taximeter?”. Você vai ouvir milhares de “no, no, no” até achar um que diga “yes”. Só aceitamos corridas com preço fechado em situações em que não tínhamos outra opção – ou estávamos atrasados, com pressa, ou já tínhamos perdido horas tentando achar um que ligasse, já estávamos sem paciência, ou o preço valia a pena. 

DICA 1: Caso você opte por pegar o taxi com preço fechado: negocie!!! Tudo na Tailândia é a base da pechincha! Se eles cobrarem X, ofereça 1/2 X.

Além disso, os motoristas de taxi falam muito mal o inglês (alguns não falam nada, como a maioria da população tailandesa), portanto, é comum passar por situações em que pedimos para nos levarem ao lugar X, eles diziam “ok”, e quando víamos estavamos no lugar Y.

DICA2: SEMPRE escreva o nome da rua / local que pretende ir ou mostre o seu telefone com a informação (e mesmo assim corre-se o risco de ir parar um lugar diferente). Mantenha a calma e, caso isso aconteça, troque de taxi no final da corrida, sem stress! 

DICA3: evite pegar taxi em frente a hotéis. Eles são os mais careiros e tentam enganar os turistas.

Nossa experiência com os taxistas

Ao chegarmos em Bangkok, pegamos o trem até a estação mais próxima do apartamento que ficaríamos – menos de 2 quilômetros. Porém, como estavamos cansados da longa viagem, com mochilão pesado nas costas, resolvemos pedir um taxi, mas exigimos COM taxímetro. Ao entrarmos no veículo, perguntamos “taximeter”? e o taxista já começou a nos destrair, perguntando de onde éramos. Quando falamos Brasil, pronto! “Pelé, futebol, samba”… e ai começou a interação! Minutos depois, percebemos que o taxímetro não estava ligado e pedimos para que ele ligasse imediatamente. Ele dizia “no no no, traffic jam” e repetia apenas e tão somente isso. Até que ameaçamos descer do carro – estava tudo parado mesmo – porém ele pegou o celular e fingiu estar em uma ligação! Começamos a falar mais alto, pedindo para ele parar o carro, e foi quando vimos passar o nosso prédio.

DICA: baixem um app de mapa offline, caso não estejam usando um chip local om internet. Foi acompanhando o mapa que conseguimos evitar um golpe maior.

De raiva, ele parou o carro mais de 1 quilômetro depois do apartamento – ou seja, tivemos que andar tudo da mesma maneira! Essa foi a primeira aventura, além das milhares de outras (uns pareciam estar bebados e dirigiam feito doidos, só me restava rezar; outros eram muito engraçados, fanfarrões, que fizeram a minha barriga doer de tanto rir) etc etc etc.

Mototaxi

Se estiver sozinho (e tiver MUITA coragem), se joga e pega um mototaxi, muito comum em Bangkok. Nós não usamos – além de estarmos em mais gente, se os motoristas já são doidos dirigindo um taxi ou tuk tuk, imagina uma moto? Deus é mais!

E os tuk tuks?

Outra opção de transporte na cidade é o famoso tuk tuk, porém ele não possui taxímetro, o preço sempre será fechado – e bem maior  que o valor de um taxi comum. Ande uma vez para conhecer, tirar fotos (afinal, somos turistas e queremos viver a experiência), mas não utilize como seu meio de transporte padrão.

Outros meios de locomoção

Você pode optar por andar de ônibus, barco/taxiboat, BTS skytrain, MRT metro…

LEIA TAMBÉM

O nosso casamento na Tailândia, na praia de Koh Phi Phi

4 dias em Bangkok – o que fazer?

Bate e volta em Ayutthaya – roteiro de 1 dia

Railay Beach, em Krabi: roteiro de 3 dias

Koh Phi Phi e suas paradisíacas ilhas

 

 

 

 

5 comentários sobre “Taxistas em Bangkok

  1. Pingback: 4 dias em Bangkok – o que fazer? – Os Voos da Xoana

  2. Pingback: Bate e volta em Ayutthaya – roteiro de 1 dia – Os Voos da Xoana

  3. Pingback: Railay Beach, em Krabi: roteiro de 3 dias – Os Voos da Xoana

  4. casalwanderlust

    Boa, amiga! Negociar e pedir para que liguem o taxímetro, sempreee! Né?
    Na Índia é assim também viu? Se preparem…rsrs
    Adorando os posts!
    Beijos

  5. Pingback: O nosso casamento em Phi Phi, Tailândia – Os Voos da Xoana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *