Os Voos da Xoana

Amsterdam em 3 dias – o que fazer?

Amsterdam, capital da Holanda, é uma cidade linda, cheia de encantos e loucuras! Tem opções para todos os gostos: para quem quer curtir de forma mais tranquila ou para aqueles que pretendem “pirar o cabeção”. Confira um roteiro do que fazer em Amsterdam em 3 dias.

A cidade é cortada por canais, que ficam ainda mais charmosos com as casas barco – as pessoas moram dentro desses barcos (e não é nada barato ter uma casa assim).

  • Heineken Experience: para os amantes de uma cervejinha, vale a pena visitar o museu para conhecer mais sobre a famosa marca de cerveja. O valor do ingresso é de 16 euros por pessoa (dica: compre antecipadamente pelo site oficial, assim você evita aquelas quilométricas filas na hora). O ingresso dá direito a um chopp quando uma representante da marca te ensina a saboreá-lo, e mais dois chopps no final do passeio, no Rooftop Bar, que é praticamente uma baladinha. Inclusive, o bar é super astral, tem uma vista bem bonita da cidade e, caso você queira beber mais, a cerveja é mais barata que nos demais bares.

Durante a visitação dos tanques de fervura, que mostra como é feita a fermentação da cerveja, há também uma degustação da bebida ainda sem o lúpulo, um dos ingredientes do produto (você vai apresender tudo sobre o processo de fabricação, que só conta com 4 ingredientes). Muuuito ruim, parece que você está comendo esterco rsrsrs.

IMG_4602.JPG

Além de contar a história da cerveja, o museu é interativo, envolve os visitantes com suas diferentes atrações – e, como o próprio nome diz, oferece experiências. Você pode participar das brincadeiras, fazer fotos engraçadas, fazer um filme como se estivesse andando de bicicleta pelas ruas de Amsterdam, jogar vídeo game, simular que está tirando um delicioso chopp etc.

Na foto abaixo, um painel feito de garrafas Heineken, que vai passando diferentes imagens com uma música alta bem animada. Na entrada da sala, tem um painel que diz “Elements of surprise and spontabeitu are what make live music so great“. E é isso o que eles proporcionam: elementos surpresa no decorrer da visita.

img_4636

  • Museu VanGogh: uma surra de cultura é sempre bom! Conhecer mais afundo a história desse grande pintor realmente foi enriquecedor. Reserve uma manhã (ou tarde) para fazer o passeio com calma. Alugamos o aparelho de áudio, que conta sobre a maioria das obras, em Português. O valor da entrada é de 17 euros por pessoa.
  • Típica foto no letreiro Iamsterdam – lotaddoooo, mas dá pra conseguir um click bacana se você tiver paciência rs. Depois de 2947238975843 tentativas, caiu o maior pé d´água e todo mundo saiu correndo da chuva! Foi o momento certo para fazer o click (coitado do moço que tirou a foto).

E como estava chovendo muito, aproveitamos para tomar um cappuccino (marido foi na cerveja) num barzinho bem em frente do letreiro.

Uma dica interessante para quem quer uma foto no letreiro sem tanta gente é fotografar no letereiro que tem no aeroporto!

  • Casa da Anne Frank: uma mistura de sensações. Esse é o lugar que escondeu 8 judeus – inclusive a jovem Anne Frank – por 2 anos, até que foram descobertos, em 1.844, pelos nazistas e mortos no campo de concentração. Apenas Otto, pai de Anne, sobreviveu, e publicou os relatos da jovem judia. Já imaginou ficar escondido em cômodos super pequenos, e que nem as janelas e cortinas podiam abrir para não serem vistos (isso tudo por 2 anos)?
  • Cruzeiro pelos canais – vale a pena fazer esse passeio, assim você conhece melhor a história das pontes, prédios, construções etc. Valor: 16 euros por pessoa.

Amsterdam é toda cortada por canais, que deixa os registros ainda mais fotogênicos. Além das milhões de bikes espalhadas por todos os cantos… Dizem que a cidade tem mais bicicleta do que gente rs.

  • RedLight District – um dos lugares mais doidos que já conheci. As prostitutas se oferecem nas vitrines, como mercadoria mesmo, e há alguns museus, mas com uma cultura um pouco diferente: contam histórias de drogas, maconhas, sexo etc rs.

É proibidíssimo tirar fotos aqui, atenção a isso!

  • Sim, é verdade que Amsterdam é lotada dos famosos coffee shops, onde tudo é liberado! E como bons turistas, claro que fomos conferir, mas confesso que não gostei da energia (sim, sou toda ligada nessas coisas de energia), achei um ambiente muito pesado – fora que você sai fedendo até a unha do pé (dentro da bota e mil meias hahaha).
  • Restaurantes e bares: pegamos várias dicas de restaurantes e bares bacanas para conhecer, mas em cada lugar que passamos, encontramos cantinhos que gostaríamos de entrar de tão fotos – e, muitas vezes, as indicações eram longe de onde estávamos, perdíamos um tempinhi para encontrá-las (ainda bem que valeram a pena). Mas um lugar que você precisa ir é o Café Winkle 43, e experimentar a famosa torta de maçã com chantilly, deliciosaaaaa. Valor: 4 euros 🍰 

fullsizerender

  • Outro local muito indicado e que adoramos foi o restaurante Moeders, que, em holandês, significa “mães” – comidinha de mãe mesmo, sabe? Nossa pedida foi um combinado de comidinhas Deutch, assim experimentamos as opções da culinária local. Mas atenção: durante a semana só abrem a partir das 17h.
  • Experimente a famosa batata frita com maionese (tem outras opções de molho também, como o barbecue). Beeem gordinha, mas em viagens não devemos nos preocupar com isso, né?

Outros lugares, que se você tiver tempo, vale a pena dar uma passadinha:

  • Museu da Tulipa: é uma loja que fica bem perto da Anne Frank´s House. Aqui você encontra todos os tipos de tulipas, sementes, histórias etc. Como fomos no inverno, não conseguimos ver essas lindezas espalhadas pela cidade, já que elas são típicas da primavera.

IMG_47912.jpg

Onde se hospedar?

Nos hospedamos no WestCord Art Hotel. Ele não é central, mas há um ônibus que passa bem na porta e te deixa na frente da Centraal Station ou em outra parada que preferir (trajeto em torno de 15 minutos, e o ônibus passa toda hora – número 22 ou 48, o que facilita muito o acesso). Para quem estiver com disposição e sem pressa, dá pra ir caminhando também – em 30 minutinhos você estará no centro. 

O hotel é limpo, o quarto grande, as camas confortáveis, banheiro e chuveiro bons e, o melhor, preço bom, já que não é tão central. Em frente a recepção, dentro do hotel, tem um barzinho/pub bem gostoso. Sempre que chegávamos dos passeios, parávamos lá para tomar mais um drink antes de dormir.

Clique aqui e reserve o seu hotel pelo Booking.com*

*Clicando no link do Booking.com pelo nosso site, você não paga nada a mais por isso, faz a sua reserva da mesma forma e ainda nos ajuda, com uma pequena comissão de indicação que recebemos do Booking. Agradecemos se puder nos ajudar .)

A Luisa, do blog Leve na Viagem, também visitou a cidade e deixou aqui suas impressões, confira!

Próxima parada: Bruxelas

Fizemos o trajeto Amsterdam Centrall – Buxelles Central de trem, pela NS International. 

O trajeto durou cerca de 3 horas e custou em torno de 25 euros por pessoa.

img_5345

Alguma dica para acrescentar? Deixe um comentário. Espero que tenham curtido essa viagem com a gente. 

54 comentários sobre “Amsterdam em 3 dias – o que fazer?

  1. Planeta Gaia

    A cada dica sobre Amsterdã que lemos nos encantamos ainda mais com esse lugarzinho hospitaleiro e pra qualquer tipo de pessoa, desde passeios diurnos até baladas noturnas espetaculares. Anotamos todas as dicas e já estamos em planejamento para visitar esse lugar maravilhoso. Lindo post 😉

  2. Familia Sem Fronteiras

    Amsterdam, uma cidade que adoramos e onde vamos todos os anos. Ainda não conhecia esses restaurantes e irei a próxima vez, final de abril 🙂
    Se tiver mais dicas, pode enviar que estarei feliz em descobrir novos lugares

    Beijos !
    Familia Sem Fronteiras

  3. Daniela Milagres

    Aaaaah que delicia, quero muito voltar para Amsterdam. Passei apenas 2 dias por lá ( não inteiros) e achei tão pouco.
    Três dias acho que já seria o suficiente mesmo.
    Eu adorei as dicas, inclusive as gordinhas e vou replicar esses passos quando voltarmos.
    Parabéns pelo blog.

  4. dhesancho

    Muito bom o post! Ainda não conhecemos Amsterdam, mas deve ser uma cidade incrível! Curti a dica do hotel! Como boa apreciadora, curti a dica da Heineken também rsrs

  5. Débora (Vamos de Mochila Br)

    O Adriano foi para Amsterdam duas vezes, eu ainda não fui, mas morro de vontade! Adorei as dicas, o Heineken Experience não pode faltar na minha ida pra lá, o Adriano adorou e quer voltar 🙂

  6. Sabrina Arcanjo Nobre

    Amei o post! Já vou anotar todas as dicas para novembro!!! ✅
    Louca para conhecer a casa da Anne Frank! Dizem que dá pra sentir a energia do que rolou por lá, verdade amiga? Já virei leitora assídua do blog! Sucesso!!!
    😘

  7. Caroline Rivera (Melhor com você)

    Oi Ju!

    Ameeei o post. Fiquei super interessada no Heineken Experience. Fomos no da Bohemia e Petrópolis e já amamos, imagina um desse!
    Ficou linda a foto Iamsterdam. A do guarda chuva super diferente!
    Que sonho esse Museu da Tulipa, amo muito!

    Show de bola esse post. Arrasaram.

    Beijokas

    Carol & Thiago (@melhorcomvoce)

  8. Pingback: I love Amsterdam!!!! – I love viajar

  9. Pingback: Os melhores (e piores) passeios em Campos do Jordão – Os Voos da Xoana

  10. Pingback: Viagem para Amsterdam em vista? Veja esse roteiro de 3 dias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *