Os Voos da Xoana

Bate-volta em Bruges – o que fazer?

Bruges é uma cidadezinha medieval, localizada no norte da Bélgica, fundada no século IX e tombada pela Unesco. Ela mais parece uma pintura (ou um conto de fadas)… a sensação é que vivi dentro de um quadro por um dia. Deu para imaginar como era viver nos séculos passados, já que tudo está intacto, o que deixa a cidade bem fiel ao que era antigamente. A arquitetura medieval foi preservada e faz um mix com o estilo urbano.

Se você está planejando passar um dia nesse conto de fadas da vida real, confira algumas dicas:

  • Logo na saída da estação de trem, quando estavamos caminhando com destino a área central, vimos um parque que parecida lindo (e é!). Como fomos no outono, as cores das árvores e folhas chamavam muito a atenção. Fomos lá conferir o que tinha… e tchan tchan tchan tchan: entramos no quadro.
  • Caminhe e descubra a cidade. A caminhada até o centro dura em torno de 15 minutos e você pode se guiar pelas torres altas da catedral e da Igreja Nossa Senhora (Onze Lieve Vrouw Kerk), que podem ser vistas de praticamente toda a cidade. No caminho, vá apreciando a arquitetura, o silêncio e a calmaria… fiquei pensando nas pessoas que moram ali! Paz e amor total!
  • Você vai encontrar a Praça Central – Grote Market (onde estão as casinhas coloridas, que mais parecem uma maquete); igrejas do século do bolinha; muitos canais (Bruges é considerada a Veneza europeia), diversos bares (aproveite e deguste as deliciosas cervejas belgas, específicas da cidade).
  • Passeio de barco pelos canais: vale a pena fazer. Além de ver a cidade de outro ângulo e se deparar com cenas encantadoras, eles vão explicando a história da cidade, dos prédios e pontes. Valor por pessoa: 8 euros
  • Restaurantes e bares: sugiro um pit stop no 2be – The Beer Wall, um bar com milhares de rótulos e super cool! E eles tem uma loja, com diversos souvenirs.
  • Diversos jardins: você vai andando e se deparando com lugares fofos e encantadores na cidade. Um dos jardins é repleto de cisnes!
  • NÃO RECOMENDO: Na hora que bateu aquela fominha, paramos no La Taverne Brugeoise, restaurante localizado bem na frente da Grote Market, mas não recomendo!!! Esses lugares bem turísticos são muito “pega turista”: caros e de baixa qualidade. Cuidado! Uma sugestão é pesquisar os feedbacks no TripAdvisor antes de entrar. Uma pena que fizemos isso só quando já estávamos lá dentro… ;( (menos mal que a sopa estava OK rs).

img_6530

  • Antes de irmos embora, paramos para tomar uns chopps no ´t Brugsch Bieratelier, um pub super tradicional, frequentado pelos locais. O local é bem pequeno: um balcão, poucas mesas, diversas torneiras de chopps e notas de diversos países espalhadas por todos os lugares! Sensacional! Cervejas do século do bolinha, especialmente desenvolvidas para os bares da cidade; ótimo atendimento! A degustação de cervejas é o carro chefe: são 12 tipos para você degustar (e se embriagar rs), servidos em uma “régua”, por cerca de 32 euros.

Como chegar?

Estávamos em Bruxelas, portanto pegamos um trem até Bruges pela Belgian Rail. O trajeto durou menos de 1 hora, e custou 28,60 euros por pessoa (ida e volta).

Onde ficar?

Pesquisei bastante antes de decidir se passaria uma noite em Bruges ou faria um bate-volta – e a decisão foi ir e voltar no mesmo dia, já que a cidade fica “deserta” depois das 20h. Então, achamos que não valeria a pena ficar fazendo check out em um hotel, viajar com mala, fazer check in novamente, check out no outro dia, viajar com malas de novo etc etc etc. Mas tem muita gente que dorme lá e curte!

Caso decida ficar na cidade, clique aqui e reserve o seu hotel pelo Booking.com*

*Clicando no link do Booking.com pelo nosso site, você não paga nada a mais por isso, faz a sua reserva da mesma forma e ainda nos ajuda, com uma pequena comissão de indicação que recebemos do Booking. Agradecemos se puder nos ajudar .)

Alguma dica para acrescentar? Deixe um comentário.

Espero que tenham curtido essa viagem com a gente.

 

4 comentários sobre “Bate-volta em Bruges – o que fazer?

  1. Pingback: Bruxelas em 3 dias – o que fazer? – Os Voos da Xoana

  2. Edna

    O museu contanto a história da cidade tb é muito bom conhecer, detalhe, os fones que usamos para ouvir a história da cidade tem em nosso idioma(português) e ao final do passeio pelo museu, tem um barzinho maravilhoso 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *